Conflitos em família é tema de roda de conversa com estudantes do Fundamental II

No dia 14 de maio, os alunos do Fundamental II da Unidade Bom Pastor participaram de uma “Roda de Conversa”, com o tema “Conflitos em família”. Em uma experiência que envolveu alunos do 6º ao 9º ano, foram organizados grupos mistos, compostos por estudantes das diferentes turmas, sendo que os do 9º atuaram como mediadores.

O objetivo da dinâmica foi promover a troca de experiência sobre o tema proposto, ouvir, ser ouvido, saber se posicionar,  respeitar o posicionamento do outro, desenvolver a empatia. Experiência rica e bem aceita pelos alunos, conforme foi possível evidenciar nos depoimentos recebidos.

Essa experiência foi boa. Eu tive uma visão muito boa de que eu não sou a única pessoa que sofre. As pessoas são tão felizes na Escola que às vezes passa pela nossa cabeça que elas têm bastante problemas, eu sou um exemplo disso, eu sei que parece mas não é todo dia que a minha pessoa é feliz. Seria uma boa ter mais vezes esses “projetos” porque eu estou mais leve depois de desabafar.”  J.P. F. 8º ano.

 

“Foi estranho, fiquei muito aliviada por ter desabafado tudo. Foi bom também poder escutar e perceber que não somos só nós que temos problemas, me senti acolhida! Também foi bom para conhecermos melhor nossos colegas.” H. M. P. 7º ano

 

“Foi incrível a sensação de ser ouvido, saber que o outro teve algum problema igual/parecido com o seu. Poder conversar, desabafar, o respeito que teve entre todos. Eu senti confiança ao falar de problemas que acontecem comigo. Foram incríveis os temas, a discussão em si. Parabéns à Escola por essa atitude e por várias outras que estão sendo feitas! Foi maravilhoso, incrível e inesquecível ter esse desabafo e entendimento.” I. P. M.  7º ano

 

“Na experiência de hoje nós alunos nos conhecemos mais e percebemos que todos temos problemas por mais que seja uma coisa pequena. Na conversa com meu grupo, todos se abriram e contaram um pouco de si, nós conseguimos ter empatia, todos se entenderam e entenderam a opinião um do outro, nós tínhamos uma opinião diferente, conversamos e chegamos a conclusão de que eles não são o que eu pensava. Eu gostei muito de conhecer eles e ouvir um pouco de sua história.”  G. A. G. 9º ano

 

“Eu achei essa atividade interessante, tanto por ser distinta, quanto por ser relaxante, até mesmo engraçada, por exemplo, ao falar que do primeiro ao quarto ano eu bagunçava e  “tocava o terror”, descontrair desta maneira é algo que deveria ser feito mais vezes. Ao realizar a atividade, ouvindo e falando, pode-se sentir um “peso” psicológico saindo das costas, pois se percebe que você não é único que tem problemas. Em meu grupo, foi possível um entrosamento, quem sabe não tão profundo, mas que me senti feliz por existir. Em minha opinião a religião é uma fuga espiritual, enquanto a escola é uma fuga do espaço familiar muitas vezes, por isso julgo ser importante essa conversação, já que muitas vezes as pessoas não falam.” R. B. R. S.  9º ano

 

“Minha experiência? Foi algo diferente, nunca tive algo parecido antes. Sabe “aquilo”? “Aquilo”? Sim, “aquilo”! Aquilo que fica preso dentro de você que só de pensar faz você desabar… Então, aquilo pode finalmente sair, falar sobre minha família, principalmente meu pai biológico me fez me sentir leve, leve como uma pena. Além de se ajudar, você ajuda o outro, todos desabafaram e entenderam que não estão só.” M. K. S. F.  6º ano

2019-05-17T09:10:19+00:00 17 maio 2019|Sem categoria|